Arquivo

Arquivo de 9, junho, 2010

Discurso pelo voto “voluntário”

9, junho, 2010 Sem comentários

Como presença consciente no mundo não posso escapar à responsabilidade ética no meu mover-me no mundo. [...] somos seres condicionados mas não determinados.¹  – Paulo Freire

 

Recentemente li um livro do pensador francês Etienne de La Boétie, escrito em meados do século XVI, cujo título é provocativo: “Discurso da servidão voluntária”². Nele, o jovem autor afirmava que “Uma coisa é certa [...]: os homens, enquanto neles houver algo de humano, só se deixam subjugar se foram forçados ou enganados”. E iludidos, pensando que somos livres, segundo ainda o autor, seguimos os três caminhos que nos levariam à servidão: hábito, covardia e participação.

Por hábito, por costume, por comodidade, servimos, e nos escravizamos. E sob o peso da tirania, ainda que camuflada, o homem se acovarda, e se escraviza. Já quanto a terceira razão para a servidão voluntária, La Boétie aponta quem são aquelas pessoas que se embriagaram pelo poder e o esplendor dos tesouros públicos e que estão sob a guarda de seu tirano: “São sempre quatro ou cinco os que estão no segredo do tirano, são esses quatro ou cinco que sujeitam o povo à servidão”.

E aqui, remetemo-nos à frase do educador Paulo Freire, que inicia o texto. Não dá para passar pelo mundo sem sermos chamados à responsabilidade ética de nosso caminhar. “Somos seres condicionados mas não determinados”, ressalta-nos o educador. Enquanto profissionais, estudantes, enfim, cidadãos, precisamos apenas nos libertar das amarras a que nos impomos, e que nos escravizam voluntariamente. Precisamos decidir nosso caminhar, escolher e seguirmos firmes, sem medos de [falsas] retaliações se entendemos justas as nossas lutas, as nossas escolhas. Porque, no final de tudo, ninguém poderá decidir por nós, apenas nossa consciência, princípios e valores éticos e morais, que são as únicas coisas que efetivamente construímos e que são realmente nossas. Isso, ninguém pode nos tirar.

No dia 10 de junho, vote consciente, sem medos ou precauções. Avalie e escolha sabiamente e você terá cumprido seu papel nesse processo democrático. Somente sua consciência e seus valores devem falar mais alto, ninguém mais!

 

REFERÊNCIAS

1. FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa, 7.ed., São Paulo: Paz e Terra, 1996. p. 21. (Coleção Leitura).

2. BOETIE, Etienne de La. Discurso da Servidão Voluntária. 4.ed., São Paulo: Brasiliense, 1987. p.239.

Categories: Blog, Livre Tags: ,