Arquivo

Arquivo de 24, fevereiro, 2014

Sobre a reportagem de Fernando Gabeira na cidade mais violenta do Brasil

24, fevereiro, 2014 Sem comentários

Eis a reportagem [muito superficial] de Fernando Gabeira, da GloboNews, exibida em 23/02/2014, sobre a violência que o Governo do Estado insiste em dizer que “não é bem assim”! Quem está na ponta e carece de segurança [PÚBLICA] é quem sabe… Lembrando que segurança pública não se resume apenas à garantia de policiamento nas ruas, mas toda uma política que garanta educação, saúde, trabalho, lazer, dentre outros princípios básicos (e que garantam menos polícia nas ruas!). E mais um detalhe: uma polícia que é temida pela própria população que deveria proteger, não é polícia! Deem o nome que quiserem…

 

Finalmente, resumir a violência no Estado de Alagoas ao “crack” seria cômico… não fosse tão trágico! Por isso mesmo, vou registrar a resposta do Cel. PM Marco Sampaio (do Centro de Ocorrências Sociais da PM), quando indagado pelo Gabeira:

GABEIRA: “A que o Sr. atribui o crescimento da violência em Maceió… com a sua experiência de policial?
SAMPAIO: “Eu atribuo principalmente à EXCLUSÃO SOCIAL, nosso Estado é um Estado onde A EDUCAÇÃO [ele] TEM OS PIORES NÍVEIS, em comparação com os outros Estados do país (…). A GENTE NÃO VÊ UMA GRANDE GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA“.

 

Nada mais a acrescentar do que já não sabemos!

 

Assista à reportagem clicando aqui.

 

.

Substitutos (o filme)

24, fevereiro, 2014 Sem comentários

O ano é 2054. Os humanos não saem mais de casa… quer dizer, saem através de seus “substitutos”, que são robôs criados à sua semelhança ou à semelhança de seus mais íntimos desejos. De casa, eles controlam os seus robôs, que trabalham e vivem a sua vida e os seus relacionamentos. Os humanos, temendo doenças e, mais ainda, as relações, enfurnaram-se em casa e não vivem mais, apenas “vegetam”.

Substitutos (“Surrogates”), 2009.

Falo do filme que assisti [e novamente] neste final de domingo. O filme é “Substitutos” (“Surrogates”), de 2009, estrelado por Bruce Willis e Radha Mitchell e dirigido por Jonathan Mostow. Aliás, considero um dos melhores filmes de Bruce Willis, onde atua como um policial que investiga uma sequência de crimes inimagináveis.

 

O filme é muito bom e tem uma excelente temática, que é muito bem trabalhada ao longo da estória. Provoca uma necessária reflexão para os dias atuais; de certa forma ele trata da busca [equivocada] pela perfeição e também da forma encontrada para expressar os desejos mais reprimidos.

 

Recomendo!

Categories: Blog, Livre, Resenha Tags: ,